| Tudo sobre Cães e Gatos

Castrar ou não castrar? | Portal dos Cães e Gatos

3.15K 3
Castrar ou não castrar? | Portal dos Cães e Gatos

Castrar é retirar os testículos dos machos e os ovários e útero das fêmeas e é ainda é uma dúvida comum para muitos responsáveis pelos animais de estimação. O procedimento de castração geralmente é feito a partir dos 6 meses.

Fator como o controle populacional, que hoje é associado à guarda responsável, sendo um dos protocolos para encaminhar os bichinhos para adoção e também a prevenção de doenças, como tumores, além da possível melhora no comportamento do animal e aumento na expectativa de vida são algumas das vantagens que levam a castrar. Sabemos que um dos poucos pontos negativos, são os riscos de obesidade depois da cirurgia. Mas há quem argumente que seria uma intromissão na natureza dos bichinhos.

Leia também:

Sarna demodécica (Sarna Negra) | E agora o que fazer?

Cãozinho que morreu em pet shop | Veja entrevista do veterinário

Glândulas anais ou (adanais): saiba prevenir e tratar problemas

Animais com síndrome de down – Entenda como funciona!

A descendência de um casal de cães, por exemplo, pode chegar a 12,6 mil crias em apenas cinco anos. Um dos benefícios fundamentais do ato de castrar é a prevenção dos tumores de mamas, bastante comum em cadelas mais velhas. A castração anterior ao primeiro cio diminui a chance de manifestar a doença, em pelo menos 0,5%. Se realizada entre o primeiro e o segundo cio, o percentual vai para 0,8%, e, até o terceiro cio, a chance passa a ser de 26%.

Nas fêmeas castradas, uma das doenças mais evitadas é a piometra, uma infecção uterina grave que, quando ocorre, leva à retirada do útero das cadelas e além de comprometer os rins e até matar. As cadelas também não tem risco de ter uma gravidez psicológica, que gera modificações hormonais, capaz de criar sofrimento.

A ocorrência dos cistos nos testículos, diminui e muito nos machos castrados. É indicado castrar também, àqueles que, por uma deformação genética, têm o testículo escondido na parte abdominal.

Os veterinários afirmam que comportamento dos machos, normalmente mais ativos e mais agressivos, tende a melhorar. Além de diminuir o mau hábito de urinar pela casa para marcar território.

Escolha um veterinário conhecido, bem recomendado. Entregue seu bichinho apenas a quem você pode confiar. É um procedimento comum, mas deve ser feito em um ambiente controlado, com equipe de anestesia e um bloco cirúrgico dentro das normas do Conselho de Veterinária. Existe o risco de infecção e hemorragia, por isso só deve ser feita por um médico veterinário, com todo cuidado e critério. O jejum de comida e água é necessário antes de qualquer procedimento anestésico, minimizando os riscos da cirurgia. O pós-operatório é tranquilo, mas tem de tomar a medicação direitinho e fazer repouso. Na maioria das vezes o animal volta da clínica no mesmo dia em que a cirurgia é realizada. Provavelmente terá que usar um colar protetor ou uma roupa especial que proteja o risco da abertura dos pontos, no caso das fêmeas, pois os machos algumas vezes, nem pontos são necessários.

Como falado anteriormente, há riscos de obesidade depois da cirurgia, então seu bichinho precisará de um alimento específico para essa fase de sua vida e assim não engordar em demasia. A remoção das gônodas sexuais altera o metabolismo, minimizando entre 25% e 30% a utilidade de uma ingestão calórica, e, por causa disso, é necessário diminuir a porção ou preferir por rações light ou especiais para castrados. Os donos não devem oferecer petiscos fora de hora e tem de fazer com que os animais pratiquem algum exercício de qualquer maneira.

Os gatos não tem o hábito de beber muita água, então faça seu gato castrado beber bastante água todos os dias, pois tendem a urinar menos ao longo do dia após a castração, fazendo com que apareçam cálculos urinários. Coloque um bebedouro de água corrente para seu gato, ele irá adorar beber a água corrente e fresquinha.

castrar

Mitos e Verdades sobre castrar seu bichinho

– O cão castrado NÃO sofre por não poder mais acasalar; muito pelo contrário, como não mais estarão sujeitos aos efeitos dos hormônios circulantes, os cães passam a viver com mais tranquilidade, sem o desespero pela fêmea;

– A cadela NÃO precisa ter uma cria antes de ser castrada. Já está cientificamente comprovado que não existe qualquer relação entre o ato sexual e a boa saúde ou amadurecimento do cão. Na verdade, esperar pelo amadurecimento sexual pode, inclusive, trazer malefícios na relação dono-cão: o macho, ao aprender a marcar locais com urina levantando a perna, pode nunca mais perder este hábito adquirido, mesmo depois de castrado.

-Cães e gatos não sentem falta de relações sexuais como a gente. Essa é uma necessidade exclusivamente humana, os animais o fazem apenas por instinto.

A castração é, além de tudo, um feito responsável! Já encontramos muitos filhotes abandonados, necessitando de um lar, de carinho e cuidados. Não colabore para essas estatísticas!

Converse com um veterinário, arranje uma segunda opinião se você ainda não tiver convencido.

Gostou do conteúdo? Curta nossa fanpage, siga-nos no Instagram e receba dicas e notícias nas redes sociais.

Comentários no Facebook