| Tudo sobre Cães e Gatos

Mulher tem coração clinicamente partido após a morte de seu amado Yorkshire

1.25K 1
Mulher tem coração clinicamente partido após a morte de seu amado Yorkshire

Joanie Simpson, de 62 anos, Houston, nos Estados Unidos, teve o coração “partido” após a morte de de Meha, sua cadelinha Yorkshire. A mulher acordou com uma dor nas costas e dor no peito, e foi levada ao hospital com suspeitas de ataque cardíaco, ao fazerem uma ecocardiografia, os médicos encontraram o problema: cardiomiopatia de Takotsubo, conhecida como síndrome do coração partido.

Leia também:

Cadelinha guarda todos os bichos de pelúcia desde que era bebê

Mulher gera revolta nas redes sociais após postar fotos do seu gato sendo tatuado

Cientista detalha o que se passa na cabeça do cão após a separação dos donos

coração

A condição imita um ataque cardíaco e acontece quando uma quantidade esmagadora de hormônios estressam o coração. A sensação cria espasmos, e a “síndrome do coração quebrado” pode ser fatal.

A cadelinha Meha morreu depois de sofrer insuficiência cardíaca congestiva. Sua morte devastou Simpson, ela disse ao Washington Post que a cachorrinha era como uma filha para ela.

Simpson explicou a tristeza que sentiu após a morte de Meha, dizendo: “Eu estava quase inconsolável, tudo foi muito difícil. “As crianças cresceram e saíram da casa, então ela era a minha pequena”, disse ela.

Simpson foi encaminhada para casa após dois dias e passou a tomar medicamentos cardíacos.

Mesmo que a morte de Meha pudesse tê-la matado, Simpson disse que planeja pegar outro cachorro no futuro.
“É doloroso. É traumático. É tudo isso acima. Mas eles dão tanto amor e companheirismo que vou ter um cachorro novamente. Vou continuar a ter animais de estimação. Isso não vai me impedir.

O caso de Simpson foi relatado no The New England Journal of Medicine, e o artigo disse que a cardiomiopatia de Takotsubo geralmente afeta as mulheres na pós-menopausa.

A análise dizia que os pacientes que sofrem com a doença geralmente sofreram “um evento estressante ou emocional”, e acrescentou que Simpson não apresentava nenhum sintoma da doença um ano após a visita ao hospital.

 

Comentários no Facebook