| Tudo sobre Cães e Gatos

FIV, a AIDS felina

3.41K 2
FIV, a AIDS felina
O vírus da Imuno Deficiência Felina, o FIV (Feline Immunodeficiency Virus) foi descoberto em 1986 em um gatil quando gatos começaram a apresentar sinais de doenças associadas a imunodeficiência nos humanos causada pelo vírus HIV.

Igualmente ao vírus que causa AIDS aos humanos, a FIV causa falência e mau funcionamento no sistema de defesa dos gatos, deixando eles suscetíveis a diversas doenças que seriam tratadas facilmente, mas são fatais em gatos infectados.

Leia também:

Facebook proíbe venda de animais na rede social

Como reduzir a acumulação de pelos de gato na casa

Dor de ouvido nos animais

A FIV está entre os maiores causadores de doenças infecciosas e fatais nos gatos e ainda não tem cura. O gato infectado pode viver até dez anos com a doença com ajuda de medicamentos para fortalecer sua imunidade.

Há uma vacina, mas não a comprovação de sua eficácia nos sete tipos de vírus da FIV existentes.

Infelizmente a maioria dos gatinhos com FIV são descartados na hora da adoção.

Transmissão

O vírus da FIV é transmitido em gatos através de sangue contaminado em contato com sangue sadio. Ela não é transmissível para humanos.

Brigas são a forma mais comum de transmissão pois envolve mordidas e arranhões. A princípio, relações sexuais entre gatos não transmitem o vírus em si, mas como podem ocorrer mordidas e arranhões durante o ato existe a possibilidade de contaminação.

Outras maneiras de contágio são o nascimento de filhotes em gata infectada, transfusão de sangue. Ou seja, gatos infectados não podem conviver com gatos sadios pois há grandes chances de contaminá-los.

Grupo de risco

Gatos de rua macho são o maior grupo de contaminados porque entram em brigas para disputar fêmeas e território.

Sintomas

Os sintomas, igual aos seres humanos, podem demorar anos a aparecer, e são divididos em 4 estágios:

1o Estágio: Fase aguda

  • Inicia por volta de 1 mês após a infecção pelo FIV.
  • Pode ser assintomáticos em alguns felinos.
  • Alguns podem apresentar febre .
  • Acontece a diminuição dos leucócitos no sangue (detectável por meio de exame de sangue).
  • Aumento do volume do baço e aumento do volume do fígado.
  • Alguns podem ficar debilitados e apresentar diarreia e outras enfermidades.

Caso sobreviva o felino passará para o 2o estágio da doença.

2o Estágio: Fase subclínica

  • Portador sem apresentar sintomas, que pode durar de meses até anos vivendo normalmente.
  • Aparecem gânglios linfáticos no animal.
  • Alterações no comportamento.
  • Febre, perda de peso e inapetência.

Caso sobreviva o felino passará para o 3o estágio da doença.

3o Estágio: Fase clínica

  • Começam os sintomas crônicos da FIV, provocando diferentes e diversos sintomas de uma só vez.
  • Otites, problemas respiratórios, dermatológicos, febres, diarreias, problemas oculares e perda de peso são sintomas desta fase.

Caso sobreviva o felino passará para o 4o estágio da doença.

4o Estágio: Fase crônica

  • Síndrome da imunodeficiência adquirida é o estágio terminal e dá o nome a doença.
  • Insuficiência renal, linfomas e a criptococose, doença que afeta o sistema nervoso central e os pulmões central.
  • Enfraquecimento e fragilização do felino.
  • Lesões da cavidade oral.
  • Infecção no trato respiratório, febre e diarreia.
  • Diminuição dos linfócitos, hemácias, neutrófilos e plaquetas no sangue.
  • Tumores e câncer.
  • Alterações neurológicas.
  • Óbito.

Diagnóstico

A FIV é detectada através de exame de sangue específico para diagnosticar a doença. Todos os gatos, saudáveis ou não, deveriam ser testados ao menos um vez na vida, afinal a doença é assintomática para alguns gatos por anos.

Os contágio só pode ser detectados apos 4 a 8 semanas. Caso seu gato saia e voltei machucado espere 2 meses para fazer o diagnóstico.

Tratamento

Apesar de não haver cura, não se desespere. Gatos podem ficar anos ou ate a vida toda sem apresentar sintomas.

  • Faça checkups periódicos com o veterinário que poderá apontar formas de fortalecer o sistema imunológico através de medicamentos para fortalecer o sistema imunológico, que irão aumentar a resistência do animal e impedir a sua infecção por outros vírus.
  • Ficar de olho no apetite do gato, falta de apetite é um sintoma comum de enfermidades em gatos
  • Corra ao veterinário caso seu gato apresente qualquer mudança de comportamento, entre elas, comer menos, não beber água, problemas para urinar ou defecar, ficar muito quieto ou muito agitado
  • Caprichar na qualidade da alimentação com rações Premium e Super Premium
  • Manter seu gato sempre em casa para que ele não contamine outros
  • Tratar vermes, pulgas e carrapatos imediatamente
  • Não causar estresse desnecessário aos gatos como mudanças, viagens,
  • Medicação para infecções secundárias

Adote um gatinho com FIV. Eles duram muito e precisam de carinho para não passar uma vida segregada.

Fonte: Bleckim

Gostou do conteúdo? Curta nossa fanpage, siga-nos no Instagram e receba dicas e notícias nas redes sociais.

Comentários no Facebook