| Tudo sobre Cães e Gatos

Animais de estimação e a importância na vida dos autistas

1.53K 4
Animais de estimação e a importância na vida dos autistas

Pediatras e pesquisadores afirmam que muitas vezes o animal assume o papel de intermediário da relação da criança com outro ser humano. Os animais de estimação são escolhidos pelo temperamento, eles ajudam no tratamento de crianças autistas por interagirem sem cobrança, o que diminui a ansiedade.

animais de

Autismo, o que é?

Em palavras claras: o autismo é uma circunstância de desenvolvimento do sistema neurológico que tem seus períodos iniciais durante a infância e é conservada por toda a vida da pessoa.

O autismo se apresenta de maneiras muito variadas, incluindo condições severas de transtornos de socialização, como o Asperger, que atingem especialmente no modo de agir com outras pessoas.

Leia também:

Carinho que vem dos cães – Terapia Hospitalar

Pet Terapia

Animais com síndrome de down – Entenda como funciona!

O que causa o autismo não é sabido. Mas, pressupõe-se que elementos genéticos e ambientais tenham a ver com seu desenvolvimento.

Não existe um tratamento preciso, entretanto, os empenhos se centralizam em elevar ao máximo as possibilidades da criança, para que ela possa viver a vida mais perto do normal e da maneira mais livre possível.

Conforme uma pesquisa realizada pela Universidade de Missouri (EUA), crianças com autismo que tem algum animal de estimação têm maiores habilidades sociais se contrastar com crianças que não os possuem.

A pesquisa confirmou que crianças com autismo que relacionam-se com animais de estimação reagem bem dentro dos processos de terapia social.

Animais de estimação interagem sem cobrança

No caso das crianças que têm cães, elas mostram um desenvolvimento mais satisfatório dessas competências. Isso pode ocorrer devido às carências afetivas dos cães e de suas formas de manifestar apreço.

Os cães são muito calorosos em suas demonstrações de amor, além de procurar atenção e companhia.

Um dos aspectos que tem mais importância no convívio com os cães, de acordo com os profissionais, é a falta de expectativas. Ao narrar um conto para o bichinho, por exemplo, a criança não vê exigência em relação à pronúncia certa, entonação ou fluência de sua leitura, e pode aprimorar suas capacidades com melhor desenvoltura.

Quando as crianças chegam a ensinar algo para o cachorro, é um evento muito benéfico. E mesmo quando o bichinho não assimila, é meio que uma camaradagem com seu respectivo bloqueio, ocorre uma identificação.

Enfim, viver com um animalzinho de estimação, não apenas cães, mas gatinhos, coelhos, e até mesmo tartarugas e pássaros, só tem a beneficiar autistas.

Gostou do conteúdo? Curta nossa fanpage, siga-nos no Instagran e receba dicas e notícias nas redes sociais.

Comentários no Facebook